Era o que a minha mãe me dava antes de qualquer acontecimento que me deixava mais impaciente e me tirava o sono. Há alturas que bem precisava que ela abrisse de novo o frasco e me enfiasse umas colheradas dessa água boca abaixo. Era remédio santo.

13
Jun 06
Hoje foi um daqueles dias em que te apetece fazer tudo menos ir trabalhar : o tempo farrusco, o ser feriado, aquela tristeza que não me larga há umas semanas...e o saber que quando chegasse ao serviço iria encontrar tudo na mesma, sem alterações, os mesmos meninos nos Intensivos (vieram para ficar, pelos vistos) e a sensação de impotência perante as situações.

Mas realmente parece que é nestes dias que o trabalho exige mais de nós - não só em termos técnicos mas, principalmente, nos pede para darmos aquilo que nós pensamos que não temos nem para nós. E é assim que me sai ao caminho alguém pior que eu, mais deprimido e desgostoso do que eu, mais desiludido e sem forças do que eu, prestes a afogar-se...do meu pouco ânimo consegui tirar forças para lhes dar, o meu pessimismo consegui transformá-lo em optimismo, a minha vontade de chorar consegui tirar alguns sorrisos e algumas cantigas de embalar.

Acabou o dia. Voltei para casa. Dei por mim mais leve, mais animada, mais realizada e pensei que há alturas em que um dia de trabalho nos faz melhor que um dia de folga e que quando pensamos que não temos nada para dar afinal até temos muito e esse muito pode fazer a diferença para alguém que nos sai ao caminho.

Acho que é por isso que gosto de ser enfermeira e gosto daquilo que faço.
publicado por obosmois às 23:25
 O que é? |  O que é? | favorito

Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


arquivos
2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

mais sobre mim
pesquisar
 
as minhas fotos
blogs SAPO