Era o que a minha mãe me dava antes de qualquer acontecimento que me deixava mais impaciente e me tirava o sono. Há alturas que bem precisava que ela abrisse de novo o frasco e me enfiasse umas colheradas dessa água boca abaixo. Era remédio santo.

31
Ago 10

Cheguei a casa mais morta que viva, com uma dor de cabeça enorme,a precisar de um duche e de uma cama acabada de fazer de lavado quando - tchan-tchan-tchan-tchaaaaannn (trecho da 5ª sinfonia de Bethoven) - a empregada não tinha vindo !!!!!

A cama não estava feita de lavado, a louça estava para tirar da máquina, o chão estava coberto de novelos de pêlo de gato (pelos vistos entreteram-se a despelar-se um ao outro- deviam ter calor...) e a casa parecia um forno!! Além disso, o namorido, como era dia da senhora vir, resolveu não lavar a louça do pequeno almoço - então o lava-louça estava um bocado atravancado. Os gatos já não tinham água e lembrei-me que tinha o jantar para acabar.

Já nem forças tive para desatar a refilar - com os gatos, já que não havia mais ninguém para me ouvir. Apeteceu-me mesmo sair de casa e voltar a entrar outra vez,não se fosse dar o caso de tudo não passar de uma alucinação visual. E, como a esperança é a última a morrer, ainda esperei meia hora a ver se o meu anjo-da-guarda-limpador-da-minha-casa aparecia (sei lá, podia ter perdido o autocarro). Mas não. Não apareceu de todo. Já passaram 3 horas e...nada, népia, rien!

Claro que a esta hora a casa já está com um ar minimamente apresentável - se houver um acidente os bombeiros já não se assustam com os pêlos dos gatos nem com a louça por lavar.

O jantar não saíu lá muito bem mas dá para não se morrer à fome.

A casa já arejou mas ainda está um forninho levemente menos quente.

A criança do andar de baixo desatou a fazer uma birra que toda a aldeia ouve e o pai da dita aumentou o volume da televisão, para conseguir ouvir as notícias por sobre os berros da cria.

E eu além da dôr de cabeça ainda ganhei uma dôr no pescoço e a cabeça enterrada pelos ombros a dentro (é stress).

Estou mesmo a precisar de um duche, uma cama (qualquer cama que seja) , 2 Ben-U-Ron's (passe a publicidade) e dormir (se o ser do rés-do-chão parar de berrar).

Talvez depois de acordar chegue à conclusão que foi só um sonho mau.

publicado por obosmois às 20:52
sinto-me:

26
Ago 10
O gato olhou para ele. "Que estranho este ser que aqui está" - pensou na sua cabeça de gato.
O gato estava cómodamente instalado dentro do bidé. À sua frente podia ver dois olhos, um nariz e umas mãos fechadas apoiadas no bordo de cerâmica.
O gato inclinou a sua cabeça de gato para o lado. Agora o ser estava a emitir uns ruídos meio estranhos. Parecia um miar mas ele não conseguia interpretar nada daquele miado.
O gato manteve-se impávido até que o ser fechou e abriu os olhos. Agora abria uma das mãos que avançava direito ao seu focinho de gato. "Meu Deus!! Ele vai tocar-me!!! Nããããoooooo!!!!!!!!"
O gato deu um salto artístico, desequilibrando o ser e deitando-o ao chão. Desaparece debaixo da cama do quarto. São exactamente 6h55.
"Mas o que é que estás a fazer no chão da casa de banho?!" - perguntou ela, com estranheza.
"Estava a tentar interagir com o gato." - responde o ser com o ar mais natural deste mundo - "Já reparaste que ele anda estranho? Acho que está zangado comigo outra vez."
Ela aperta o brinco, pega na mala e nas chaves do carro, dá um beijo e abraça aquele ser tão especial e importante para ela. "Não sei quem é mais maluco - se tu ou o gato. Estás a precisar de descansar mais, amor."
Quando sai de casa já ele dorme a sono solto. O gato fica à porta a olhar para ela como quem diz:"Help!!"
Põe o carro a trabalhar e ela pensa que é realmente muito feliz no meio daquela casa de doidos.
São exactamente 7h10.
publicado por obosmois às 20:10

24
Ago 10
...mas acho que vou voltar...sempre que tiver tempo para ligar o computador.
afinal depois de todo este tempo acho que há mais aventuras e desventuras com os gatos e com os outros.
publicado por obosmois às 21:12

Saí do serviço mais morta que viva. Hoje, finalmente, consegui sair às 16h - bem, foi mais às 16h30; para quem tem nos últimos dias estado lá fechada das 8 da manhã  a "sabe-se - lá - até - que - horas", foi realmente muuuuuiiiiitoooo bom. Devia ter ido directa ao ginásio e depois para casa cumprir o meu papel de esposa dedicada, mas o cansaço e a neura eram tão grandes que, quando dei por mim, estava a caminho da praia apenas para ficar a olhar para o mar e a apanhar vento em cima.

Parei o carro, caí na tentação de comprar um gelado de limão (que por acaso até era intragável e sabia a Super-Pop. "Bem feita para não seres gulosa!!") e caminhei um pouco ao longo daquele calçadão. O cheiro a maresia, a nortada e o sol tiveram o condão de me animar. Sentei-me no muro sobre a falésia e ali fiquei a olhar as ondas e a ver os surfistas e os banhistas dentro daquela água revolta e sempre gelada.

Lembrei-me que há uns anos atrás costumava fazer isto com alguma frequência e ocorreu-me que o facto de estar mais velha me tem tornado menos espontânea e com um sentido de dever quase doentio. É a única explicação que encontro.

De qualquer forma, qualquer sentimento de culpa de não estar a cumprir todos os deveres rigorosamente planeados na minha cabeça, desapareceu por instantes. Por mim tinha ali ficado até o sol se pôr ou a ventania se tornar insuportável. Infelizmente o Grilo Falante começou a massacrar-me os ouvidos e lá me meti no carro. Mas só lhe fiz metade da vontade - voltei para casa, sim, mas não pela auto-estrada, fui pela estrada nacional, bem mais bonita e que me faz levar 1 hora de caminho.

Posso dizer como o tio Fernando Pessoa; "ai que prazer não cumprir um dever..." (foi ele que disse isto não foi?...) E tenho que fazer isto mais vezes.

 

(não foi tirada hoje mas podia ter sido )

publicado por obosmois às 19:43
sinto-me:
música: "O mar" - Madredeus

18
Ago 10

Vantagem # 1 - mesmo que não queiramos ouvir os despertadores às 6 da manhã para acordarmos para ir trabalhar, ele acende a luz da mesa de cabeceira e arrasta-nos para fora da cama. Resultado: não chegamos atrasadas ao emprego e ainda tomamos o pequeno-almoço nas calmas.

publicado por obosmois às 22:51
sinto-me:
música: "Wake-up, little Susy"

16
Ago 10

Fim-de-semana no Algarve.

Pergunto à minha curiosidade como é que alguém pode descansar durante as férias na confusão que é aquela terra. Gente por todo o lado, de manhã à noite. Supermercado:cheio; café: cheio; praia: cheia; mar: cheio; mercado: cheio; ruas: cheias; trânsito: caótico; até a casa de chá, simpática e acolhedora, com os seus doces algarvios maravilhosos e que em Junho está quase deserta,estava cheia a rebentar pelas costuras!!!!

Mas então as férias não são feitas para descansar, sair da rotina e das filas de trânsito, ver outras pessoas e andar calma e tranquilamente sem horas marcadas para nada e sem ter a preocupação de chegar cedo à praia (para ter sítio para estender a toalha), cedo à padaria (para ainda apanhar aquele pão alentejano acabadinho de chegar e que desaparece em menos de um fósforo), cedo ao supermercado (para ainda encontrar alguma coisa nas prateleiras e não ter que espancar a lambisgóia que arrebatou o último pacote de fiambre de perú), cedo...enfim, só de pensar nisto tudo fico logo cansada.

Como é que se pode chamar férias a um período em que saímos do nosso local de trabalho por uns dias, andamos 300km e damos de caras com o oleoso do segurança da empresa, desta vez de camisola branca de cavas a exibir uma tatuagem horrenda com a cara da mãezinha, a colega do 5º piso com um bikini brasileiro a mostrar toda a celulite do mundo e ainda por cima agarrada ao instrutor do ginásio, que se baba cada vez que passa uma miúda de 16 anos sem pinga de gordura no corpinho. E ainda nos arriscamos a dar um mergulho e embater na barriga do Sr.Edmundo (que por acaso até é o nosso chefe).

Férias - Agosto - Algarve...para mim não liga.

Férias - só em qualquer dos outros 11 meses do ano.

Algarve em Agosto - só um fim-de-semana curtinho para a reunião familiar anual e com a garantia de que a casa fica no meio do monte, longe da grande confusão.

publicado por obosmois às 22:16
sinto-me:
música: vamos a la playa

13
Ago 10
...mas esta musica consegue fazer esquecer-me do que me chateia.
além disso...vou de fim de semana prolongado.
publicado por obosmois às 00:31
sinto-me:

09
Ago 10

E aqui estou eu, morta de sono e à espera que a casa arrefeça para conseguir dormir.

publicado por obosmois às 22:19
sinto-me:

Aquilo que nos dizem tem o valor que nós quisermos dar, logo só nos afecta se nós quisermos. Acho que sempre ouvi dizer isto mas nunca consegui pôr em prática. Valorizo sempre tudo aquilo que me dizem (seja negativo, seja positivo) e, invariávelmente, acaba por me deixar com uma neura de caixão à cova depois de passar várias horas a remoer o assunto. Raio de defeito!!!!!!

Mas ando a treinar para que deixe de ser assim. Tal como ando a treinar a minha força de vontade para fazer dieta e não me empaturrar em bolos (normalmente depois de horas de reflexão sobre as coisas que me disseram) - este treino tem dado resultado. Pode ser que o outro também dê e eu passe a estar quase nas tintas para aquilo que me dizem.

Uma coisa é certa: não vou deixar que uma birra de sono me estrague a semana.

publicado por obosmois às 22:19
sinto-me:
tags: ,

08
Ago 10

 

Com o calor que está não me importava nada de agora estar aqui dentro - mesmo sendo a água do mais gelado que se pode imaginar.

publicado por obosmois às 18:58
sinto-me:

Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
17
19
20
21

22
23
25
27
28

29
30


subscrever feeds
arquivos
2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO